Mudança de Endereço

Informamos que a partir do dia 21/11/17, a Schunk Luthieria estará em endereço novo, anote aí:

Rua Presidente João Café Filho, 50
Parque São Vicente – Mauá – S.P.

 

Em caso de dúvidas ou maiores informações, acesse a nossa página de contato e converse com a gente!

O que é Luthieria?

Enfim, o que é Luthieria?

A palavra Luthieria tem como berço a França, advinda dos antigos artesãos que fabricavam alaúdes. O alaúde é um instrumento antigo, criado na Idade Média, e foi o primeiro instrumento de cordas beliscadas com caixas de ressonância da Europa. Sua forma definitiva possui cinco cordas duplas e uma corda simples, um braço na extremidade e um aspecto de meia pera. Esse instrumento clássico inspirou o nome da profissão e dos profissionais que praticam a luthieria, ou seja, o desenvolvimento, restauração e reforma artesanal de instrumentos musicais.

Atualmente com a gigante demanda de instrumentos industrializados, são poucos os profissionais que se dedicam à construção artesanal pelo alto nível técnico e custo de produção. Diversos profissionais migraram para o segmento de reforma e manutenção de instrumentos já concebidos, mercado que possui uma grande demanda de serviços.

 A Luthieria no Brasil

O mercado de luthieria no Brasil ainda é pequeno se comparado ao Europeu ou até o Americano, mas com boas perspectivas de crescimento pela escassez de profissionais especializados em diversos segmentos. A cultura regional também é um fator importante para este mercado, considerando que o mercado Europeu possui um viés bastante forte para a música clássica.

Provavelmente, a luthieria chegou ao Brasil há pouco mais de 500 anos, a partir da chegada dos jesuítas nas caravelas que aportaram no país. Ao longo desse processo de colonização, alguns artesãos foram trazidos com o intuito de restaurar instrumentos utilizados em missas católicas. No entanto, devido à escassez de registros de luthiers nesse período, não se pode afirmar, precisamente, se houve ou não a presença desses profissionais durante a colonização.

Por volta do final do século XIX, a luthieria teve sua importância em território nacional. Registros afirmam que ela foi trazida por italianos e alemães, o que não surpreende, haja vista a história desse ofício ser enraizada em terras europeias.

É importante saber que os profissionais luthiers brasileiros não deixam nada a desejar aos melhores do mundo. O Brasil possui um acervo muito amplo de madeiras e todo tipo de matéria-prima para confecção de instrumentos musicais o que engrandece de sobremaneira o oficio no nosso País.

O Profissional luthier

Dessa forma, luthier é o profissional que trabalha na construção artesanal, reforma e restauração de instrumentos musicais, não somente de cordas mas também de sopro, percussão, entre outros.

É um ofício normalmente executado por poucos profissionais dentro de um ateliê, normalmente orientado pela dificuldade técnica dos processos, não permitindo que grande parte das tarefas sejam distribuídas a outros profissionais.

Além da capacidade técnica, existem outras variáveis que são extremamente importantes na elaboração e reparação de instrumentos musicais, sendo o ambiente seco, arejado, iluminação e ferramentas de trabalho adequadas.

Os bons profissionais são reconhecidos pelo capricho, organização, técnicas apuradas e sensibilidade musical, fatores primordiais para que o trabalho final supere as expectativas do cliente.

O processo de construção de um instrumento começa bem antes de qualquer corte ou entalhe, é necessário escolher a matéria prima, tratá-la e armazená-la com critério para o início da concepção. Alguns profissionais guardam a madeira por anos antes de iniciar a construção, garantindo assim que as características do instrumento se perdurem, não incorrendo em riscos naturais desse tipo de material, como empenamento por causa da umidade. É fundamental que o cliente participe intensamente desse processo que além de garantir um produto de alta qualidade gera uma satisfação em saber que aquele instrumento foi feito sob medida, do início a fim.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Revista Educação (UnG), A ARTE DA LUTERIA NO BRASIL, v.7, n.1, 2012.